João da Cruz e Sousa - Broquéis - 18 - Sonhador





João da Cruz e Sousa - Broquéis - 18 - Sonhador


Por sóis, por belos sóis alvissareiros,

Nos troféus do teu Sonho irás cantando

As púrpuras romanas arrastando,

Engrinaldado de imortais loureiros.


Nobre guerreiro audaz entre os guerreiros,

Das Idéias as lanças sopesando,

Verás, a pouco e pouco, desfilando

Todos os teus desejos condoreiros...


Imaculado, sobre o lodo imundo,

Há de subir, com as vivas castidades,

Das tuas glórias o clarão profundo.


Há de subir, além de eternidades,

Diante do torvo crocitar do mundo,

Para o branco Sacrário das Saudades!



João da CRUZ E SOUSA (1861 - 1898) foi um poeta brasileiro, considerado um dos precursores do movimento simbolista no Brasil. Seus poemas são marcados pela musicalidade e pelo sensualismo, mesclado com uma espiritualidade e religiosidade de maneira às vezes espantosa. Broquéis foi seu livro de estréia, e contém algumas de suas obras mais famosas, como o poema Antífona, peça de abertura do livro.




 João da Cruz e Sousa - Broquéis - 18 - Sonhador

Conteúdo correspondente: