João da Cruz e Sousa - Broquéis - 28 - Deusa Serena





João da Cruz e Sousa - Broquéis - 28 - Deusa Serena


Espiritualizante Formosura

Gerada nas Estrelas impassíveis,

Deusa de formas bíblicas, flexíveis,

Dos eflúvios da graça e da ternura.


Açucena dos vales da Escritura,

Da alvura das magnólias marcessíveis,

Branca Via-Láctea das indefiníveis

Brancuras, fonte da imortal brancura.


Não veio, é certo, dos pauis da terra

Tanta beleza que o teu corpo encerra,

Tanta luz de luar e paz saudosa...


Vem das constelações, do Azul do Oriente,

Para triunfar maravilhosamente

Da beleza mortal e dolorosa!



João da CRUZ E SOUSA (1861 - 1898) foi um poeta brasileiro, considerado um dos precursores do movimento simbolista no Brasil. Seus poemas são marcados pela musicalidade e pelo sensualismo, mesclado com uma espiritualidade e religiosidade de maneira às vezes espantosa. Broquéis foi seu livro de estréia, e contém algumas de suas obras mais famosas, como o poema Antífona, peça de abertura do livro.




 João da Cruz e Sousa - Broquéis - 28 - Deusa Serena

Conteúdo correspondente: