João da Cruz e Sousa - Broquéis - 49 - Sonata





João da Cruz e Sousa - Broquéis - 49 - Sonata


I

Do imenso Mar maravilhoso, amargos,

Marulhosos murmurem compungentes

Cânticos virgens de emoçÓes latentes,

Do sol nos mornos, mórbidos letargos...


II

Canções, leves canções de gondoleiros,

Canções do Amor, nostálgicas baladas,

Cantai com o Mar, com as ondas esverdeadas,

De lânguidos e trêmulos nevoeiros!


III

Tritões marinhos, belos deuses rudes,

Divindades dos tártaros abismos,

Vibrai, com os verdes e acres eletrismos

Das vagas, flautas e harpas e alaúdes!


IV

O Mar supremo, de flagrância crua,

De pomposas e de ásperas realezas,

Cantai, cantai os tédios e as tristezas

Que erram nas frias solidões da Lua...



João da CRUZ E SOUSA (1861 - 1898) foi um poeta brasileiro, considerado um dos precursores do movimento simbolista no Brasil. Seus poemas são marcados pela musicalidade e pelo sensualismo, mesclado com uma espiritualidade e religiosidade de maneira às vezes espantosa. Broquéis foi seu livro de estréia, e contém algumas de suas obras mais famosas, como o poema Antífona, peça de abertura do livro.




 João da Cruz e Sousa - Broquéis - 49 - Sonata

Conteúdo correspondente: